17 de janeiro de 2020 

A partir deste ano os boletos da anuidade do Conselho Regional de Biologia da 3ª Região começaram a ser gerados através do site da Autarquia, não sendo mais enviados por correio. Esta iniciativa da nova gestão, que assumiu em novembro, possibilitou uma redução de gastos significativa.

Em 2019, foram enviadas aproximadamente 8.460 correspondências, com custos de envio de quase R$ 17 mil, além de mais R$ 4 mil em impressão dos boletos da cobrança.

Este ano o CRBio-03 também não enviará as agendas e calendários, também gerando uma economia de R$ 78.535,20. Custo este só para pagamento e envio das peças pelos Correios.

Os valores não gastos serão utilizados para a realização das ações de valorização e qualificação dos profissionais registrados, metas registradas durante o processo eleitoral que acabou em outubro passado, dando a vitória à atual administração.

Outras ações metas desta gestão serão cursos de capacitação para os Biólogos, visando sempre ampliar as possibilidades no mercado de trabalho. Criar a Caixa de Assistência dos Profissionais também é outro objetivo do Conselho, com oferecimento de planos de assistência social, de saúde, previdenciários e empréstimos financeiros para qualificação profissional.

Além disso, a melhoria dos serviços burocráticos com a agilidade dos processos junto ao CRBio-03 e a baixa eletrônica da Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) são ações já em planejamento.

Divulgar a importância do trabalho dos profissionais registrados para a população também é um propósito do Conselho, com ações voltadas às questões ambientais nos estados do RS e SC, como proteção do meio ambiente, incentivo ao crescimento econômico com empreendimentos autossustentáveis.

17 de janeiro de 2020

A temporada de veraneio no litoral gaúcho registrou 38.218 casos de queimaduras de águas-vivas até 1º de janeiro, conforme dados da Operação RS Verão Total, iniciada dia 21 de dezembro. A edição anterior da iniciativa teve 111.417 ocorrências relatadas pelos banhistas, em pouco mais de dois meses.

As águas-vivas são invertebrados gelatinosos que pertencem ao grupo animal Cnidário, e apresentam um tipo específico de célula em seus tentáculos, o cnidócito, lançando filamentos com espinhos e um líquido urticante que, nos humanos, pode causar queimaduras.

De acordo com a bióloga Dra. Carla Ozório, é um fenômeno natural a maior frequência de águas-vivas na costa do Rio Grande do Sul no verão. Isto ocorre porque nesta época há mais predomínio de águas quentes e tropicais no litoral gaúcho. “O aumento ou diminuição da população de águas-vivas está relacionado aos fatores ambientais que podem ser naturais ou antropogênicos. Já o número de acidentes, além do número de águas-vivas presentes, pode também ser relacionado ao aumento do número de banhistas e o do tempo que cada pessoa entra e permanece no mar", relata Carla.

Para o presidente do Conselho Regional de Biologia 3ª Região, Jackson Muller, este não é um fenômeno desconhecido no Estado, “em 2017 tivemos o mesmo problema. O que precisamos atentar é para a prevenção deste tipo de acidente. Já que o aparecimento destes invertebrados é maior no verão, o Estado precisa se precaver e cuidar mais dos banhistas e de seus salva-vidas, com estudos, avaliações, acompanhamentos dos movimentos destas populações marinhas em nossos oceanos. Temos profissionais altamente capacitados para isso”, afirma o Biólogo Muller.

15 de janeiro de 2020

O Arquipélago de Palau, país da Oceania, é o primeiro a banir o uso de protetores solares que são prejudiciais à vida marinha, e principalmente aos corais. Palau é formado por um recife de corais parcialmente submersos e é considerado patrimônio da humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura.

Apesar da população ser formada por apenas de 20 mil pessoas, espalhadas por dezenas de ilhas, o País recebe mais de 120 mil turistas ao ano.

Em 2018 foi anunciado que até 2020 seriam vetados os protetores solares que tivessem qualquer uma das 10 substâncias - Oxybenzona (benzofenona-3), Etilparabeno, Octinoxato (metoxicinamato de octila), Butilparabeno, Octocrileno, Metilbenzilideno cânfora, Benzilparabeno, Triclosano, Metilparabeno e Phenoxyethano.

A Bióloga e Dra. Camila Martins, professora da Universidade Federal do Rio Grande comenta que na mesma linha, o Havaí, nos Estados Unidos, anunciou que filtros solares serão banidos em 2021. “Protetores solares são, de fato, frequentemente usados para proteger a pele de seres humanos e inúmeros outros objetos, tais como polímeros plásticos, adesivos, tintas e borrachas, da degradação por raios UV. A contaminação marinha por filtros UV se dá pelo uso recreativo de praias e lagoas, e pelo despejo de efluentes de águas residuais no mar”.

Ela ressalta que a questão do despejo de efluentes é ainda agravada pela ineficiência de remoção desses compostos nas estações de tratamento de esgoto. Adicionalmente, a lipofilicidade e baixa degradabilidade fazem com que a presença dos ingredientes de protetores solares no meio ambiente seja ainda mais alarmante do ponto de vista ecotoxicológico.
De acordo com Camila, os 10 componentes de filtros solares da lista entram na classe dos contaminantes emergentes, que são assim classificados, não pelo uso recente por seres humanos, mas por serem potenciais poluentes e atualmente não controlados mas que, no entanto, podem se tornar candidatos para legislações futuras dependendo de pesquisas sobre a toxicidade para os ecossistemas e risco para saúde humana.

Dentre as substâncias está a Oxibenzona, também conhecida como Benzofenona-3. Estudos realizados no Rio Grande do Sul pelo grupo de pesquisa Ecobiotox, liderados pela professora Camila Martins, mostraram que a Oxibenzona, em concentração ambientalmente relevante, altera o sistema antioxidante de outro organismo calcificador, o marisco branco Amariladema mactroides. Adicionalmente, a mesma equipe juntamente com colaboradores da Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP, campus Baixada Santista, observaram que o composto reduz a viabilidade de Hemócitos (células hemolinfáticas /sanguíneas) do mexilhão Perna perna e que esta situação é agravada com a redução do pH, associando, portanto, o efeito da contaminação por Oxibenzona com o processo de acidificação dos oceanos, previsto pelo IPCC - Intergovernmental Panel on Climate Change ou Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas. Porém, estes dados ainda não foram publicados.

Outra substância que faz parte da lista é o Metilparabeno. O mesmo grupo de pesquisa tem mostrado que este composto é tóxico em concentrações superiores às encontradas em ambientes aquáticos e indicam microcrustáceos como os organismos mais sensíveis. “Porém, é importante salientar que tais achados foram decorrentes de exposição aguda (exposição de curta duração). Talvez a exposição prolongada às baixas concentrações de Metilparabeno, como de fato ocorre no ambiente, pode gerar efeitos similares aos observados em curto prazo. Diante do exposto, uma atenção especial deve ser dada a produtos “mais naturais” ou “menos agressivos” aos ecossistemas e capazes de filtrar os raios UV, como é o caso de óleos naturais a base de sementes e óxido de zinco” afirma Camila.

“Apesar de relativamente recentes, os estudos científicos sobre filtros solares têm demostrado que estes são potenciais poluidores por causarem uma variedade de efeitos adversos aos organismos marinhos, incluindo corais. Os recifes de coral são biologicamente importantes, por serem considerados como os ecossistemas marinhos com a maior biodiversidade”, afirma.

A Bióloga alerta que um estresse ambiental causado pela presença de poluentes pode desfazer a relação simbiótica entre o coral e a zooxantela. Uma vez que o coral esteja sob estresse, ele expulsa a microalga e seu tecido corporal fica transparente, mostrando a cor branca do seu esqueleto. Este fenômeno, segundo Camila, conhecido como branqueamento, tem sido usado como um indicador de ambientes poluídos. “O branqueamento, além de desacelerar o crescimento dos corais, pode levá-los à morte, trazendo prejuízos imensuráveis aos ecossistemas marinhos”, finaliza a Bióloga.

15 de janeiro de 2020

Nessa segunda-feira (13), o Conselho Regional de Biologia 3ª Região começou a fiscalização na região nordeste do Estado, na cidade de Vacaria. O fiscal Biólogo, Daniel Pires, está em visita a órgãos da Prefeitura, laboratórios e hospitais de diversos municípios da região.

Como principal função, o CRBio-03 fiscaliza o exercício profissional da Biologia para que somente profissionais legalmente habilitados a exerçam, também auxiliando aos quase 20 mil profissionais e empresas registradas no Conselho nos estados do RS e de SC. Em 2019 foram 488 municípios fiscalizados da região que o CRBio-03 abrange.

As fiscalizações na região seguem até o dia 17 de janeiro passando pelas cidades de Muitos Capões, Bom Jesus, Lagoa Vermelha, Ibiraiaras, Caseiro, Ciríaco, Marau, Nova Alvorada, Itapuca, Arvorezinha, Ilópolis, Putinga e Anta Gorda.

"O Conselho fiscaliza os diversos profissionais que atuam na área de prestação de serviço, ou no setor público. Avaliando a efetividade dos instrumentos profissionais utilizados, todas as normas e legislações que dizem respeito ao exercício legal da profissão de Biólogo", declara o presidente do CRBio-03, Jackson Muller.

 

13 de janeiro de 2020

O Conselho Regional de Biologia da 3ª Região (CRBio-03) esteve presente na Colação de Grau dos cursos de Ciências Biológicas da Universidade do Vale do Taquari (Univates), no último sábado (11), em Lajeado, representado pelo conselheiro Rafael Dalssoto. Esta aproximação com as instituições de ensino busca acompanhar os novos profissionais que chegam ao mercado de trabalho.

“A presença do CRBio-03 foi de suma importância para os acadêmicos de Ciências Biológicas, pois mostramos a eles que não estão sozinhos nessa caminhada. Somos seu apoio profissional e, a partir desta nova administração, o Conselho estará junto nesta caminhada”, declara Rafael Dalssotto.

A cerimônia foi realizada no Teatro da Universidade, em Lajeado.

Os formandos Daiana Picoli, Fernando Panassolo e Clécio Luiz Tomazi são os novos profissionais já com registro no Conselho.

13 de janeiro de 2020

O pagamento da anuidade de 2020 do Conselho Regional de Biologia da 3ª Região teve inicio no dia 2 de janeiro. Todas as informações referentes aos descontos e formas dos pagamentos estão disponíveis para os Biólogos no site e nas redes sociais Facebook e Instagram . Neste último final de semana foram enviados e-mails a todos os profissionais e empresas registrados na Autarquia informando sobre o tributo. E em todas as redes sociais, o Conselho responde às dúvidas dos profissionais.
O valor das taxas, estabelecido pelo Conselho Federal, é de R$ 407,32 para Pessoa Física, já com desconto de 25% nos pagamentos realizados até dia 31 de janeiro.

Confira os descontos na tabela abaixo:

A anuidade para Pessoa Jurídica, também determinado pelo CFBio, é de acordo com o capital social único.

Tabela de anuidade PJ abaixo:

A partir deste ano a geração do boleto para este pagamento será feito unicamente pelo site, não sendo mais enviado por correio.

 

13 de janeiro de 2020

Na última sexta-feira (10), os novos Conselheiros do Conselho Federal de Biologia (CFBio) tomaram posse, em Brasília, para o mandato complementar de 23 de outubro de 2019 a 23 de outubro de 2023. 

Na ocasião foram eleitos para diretoria os Conselheiros efetivos Maria Eduarda de Larrazábal da Silva para presidente e Eliézer José Marques para vice-presidente. Na sequência, Maria Eduarda indicou Helena Lúcia Ferreira para Conselheira Secretária e Alcione de Azevedo para conselheira tesoureira.

O presidente do CRBio-03, Jackson Muller e o vice-presidente Brites Fraga Pereira, estiveram presentes no ato solene.

Em seu pronunciamento, a nova presidente do CFBio cumprimentou os presentes e agradeceu, em nome dos Conselheiros eleitos, a oportunidade de trilhar nos próximos anos esse caminho de trabalho pela profissão de Biólogo. “Ressalto a responsabilidade de ser um conselheiro, seja regional ou federal, uma atividade altruísta, nem sempre compreendida, seja pelos familiares, seja por nossos pares. Contudo, essa missão não só enobrece a nossa profissão como também a nossa existência”, disse.

Confira os membros da nova gestão do CFBio para o período de 2019 a 2023:

DIRETORIA
Maria Eduarda Larrazábal da Silva – Presidente
Eliézer José Marques – Vice-presidente
Helena Lúcia Ferreira – Conselheira Secretária
Alcione de Azevedo – Conselheira Tesoureira

MEMBROS EFETIVOS
Alcione Azevedo
Eliézer José Marques
Flávia Ferraz Sampaio
Helena Lúcia Ferreira
Jomar Carvalho Filho
Juliana Johann Rache
Lídice Paraguassú
Maria Eduarda da Silva
Santiago de Souza
Wagner Valenti

MEMBROS SUPLENTES
Marcelo Garcia
Murilo Damato
Giovanna Castellano
Emilson Miranda
Lenir Furtado Aguiar
Beloni Marterer
Bárbara Nascimento de Araújo
Cristina Souza Motta
Marcus Vinícius Vilaça
Horácio Santana Teles

10 de janeiro de 2020

O ano de 2020 começou com a abertura de processos seletivos para concursos públicos e estágios com muitas vagas para Biólogos e estudantes da área. São cerca de cinco editais abertos de prefeituras e hospitais. O nosso site tem uma área exclusiva onde divulgamos vagas de trabalho e estágio para os profissionais e estudantes. Confira: https://crbio03.gov.br/index.php/mercado/vagas-de-trabalho

10 de janeiro de 2020

A Comissão de Formação e Aperfeiçoamento Profissional (CFAP) do Conselho Regional de Biologia 3ª Região se reuniu na sede do Conselho em Porto Alegre na última quarta (8), para o seu primeiro encontro do ano. O projeto de aproximação do CRBio-03 com as instituições de ensino que possuem curso de Biologia foi abordado na ocasião, além de registros de especialistas a novos profissionais Biólogos.
Estiveram presentes, os conselheiros Caroline da Rosa Techio, Luis Roberval Bortoluzzi Castro, Maria Helena Faedo da Rosa e Rafael Dalssotto.

8 de janeiro de 2020

A nova gestão do Conselho Regional de Biologia 3ª Região que assumiu em novembro está implementando novas áreas e campos de fiscalização, ampliando suas ações para diminuir que a Biologia seja executada por leigos.

Fiscalização em órgãos públicos
A ocupação de cargos técnicos por profissionais habilitados, assim como suas análises e pareceres em processos de licenciamentos, a capacidade de análise e interpretação de dados técnicos relativos ao meio ambiente e biodiversidade, biotecnologia e produção, entre outros temas, serão avaliados na fiscalização que o CRBio-03 irá ampliar em órgãos públicos.

Os problemas e dificuldades enfrentadas pelos profissionais quanto à qualidade técnica dos estudos, programas e projetos apresentados em processos de licenciamento ambiental realizados por biólogos prestadores destes serviços também serão avaliados e tratados pelo Conselho.

Biólogos prestadores de serviços na iniciativa privada
As condições dos contratos de prestação de serviços, como carga horária, piso salarial, vínculo empregatício, Anotações de Responsabilidade Técnica – ARTs entregues pelos Biólogos nestas atividades e serviços serão alvo da fiscalização que acontecerá de forma mais intensiva ao longo de 2020. “Temos muitas informações para levantar acerca do atual mercado de trabalho para os Biólogos, tanto no RS como em SC. Informações como os Biólogos com registros baixados ou cancelados estão ainda atuando na profissão. Nesta condição temos mais de sete mil no RS e em SC. Vamos buscar saber qual a condição destes profissionais e tentar recoloca-los no mercado de trabalho. Para isso nossa fiscalização estará em locais onde antes não era fiscalizado” afirma o presidente do Conselho, Biólogo Jackson Muller.

O Conselho estará atento a todas as possibilidades de inserção dos profissionais no mercado de trabalho nos dois estados que abrange, para que a Biologia seja reconhecida como uma profissão de grande importância para o desenvolvimento da sociedade com preservação do meio ambiente. Quando encontrar exercício ilegal da profissão serão tomadas todas as ações cabíveis e legais para que mais profissionais habilitados tenham acesso a estas colocações.

6 de janeiro de 2020

O pagamento da anuidade 2020 para Pessoa Física e Jurídica inscrita no Conselho Regional de Biologia da 3ª Região já iniciou. O valor é de R$ 543,09 para Pessoa Física, porém o Conselho oferece descontos conforme a data do pagamento. Quem pagar até dia 31 de janeiro terá 25% de desconto, pagando R$ 407,32. Confira na tabela abaixo os descontos de cada mês:

A anuidade da Pessoa Jurídica é de acordo com o capital social único, declarado no contrato. Caso seja atualizado o capital social, o valor da anuidade também tem reajuste. Confira os valores abaixo:

 

 

O pagamento é até 31 de março sem juros e multa. Valores e prazos definidos nacionalmente pelo Conselho Federal de Biologia. Além disso, a partir deste ano o boleto não será mais enviado pelos correios. Cada profissional e empresário precisará gerar o documento diretamente no site do CRBio-03.

O Biólogo registrado pode também parcelar em três vezes de R$ 144,82, sendo obrigatório o primeiro pagamento em janeiro, com vencimentos consecutivos em 31 de janeiro, 29 de fevereiro e 31 março. Com o parcelamento, também garante um desconto de 20%, pagando ao final um total de R$ 434.47.

A anuidade é um investimento do profissional para ele mesmo. O Conselho planeja melhorias para os Biólogos em 2020. Um dos objetivos é divulgar a importância do trabalho dos profissionais registrados para a população. Criar e executar uma agenda de ações voltadas às questões ambientais nos estados do RS e SC, como proteção do meio ambiente, crescimento econômico e empreendimentos autossustentáveis.

Criar a Caixa de Assistência dos Profissionais Biólogos também é outro objetivo da nova diretoria do Conselho, que assumiu em novembro último, com oferecimento de planos de assistência social, de saúde, previdenciários e empréstimos financeiros para qualificação profissional.

"Queremos um Conselho que realmente exerça seu papel de fiscalização e coibição do mau exercício profissional mas que, principalmente, trabalhe junto ao Biólogo, auxiliando-o dia após dia. Queremos que a sociedade reconheça nossa importância para todo e qualquer desenvolvimento", coloca o presidente do Conselho, Biólogo Jackson Muller.