17 de fevereiro de 2020

Na última semana, entre os dias 11 e 14 de fevereiro, a fiscalização do Conselho Regional de Biologia da 3ª Região – CRBio-03, vistoriou quatro municípios do litoral do Rio Grande do Sul, Terra de Areia, Arroio do Sal, Torres e Capão da Canoa.

O CRBio-03 é responsável pela fiscalização do exercício profissional da Biologia nos estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, o que implica tanto proteger a sociedade e o meio ambiente, como garantir que os serviços sejam executados por profissionais legalmente habilitados.

Na ocasião foram 25 lugares fiscalizados, como Prefeituras, empresas privadas, empresas de consultoria ambiental e órgãos públicos ligados à Biologia.

Durante a fiscalização na Secretaria do Meio Ambiente e Planejamento de Capão da Canoa, a fiscal Bióloga Viviane Ferronatto foi recebida pelo secretário Jorge Alberto Arbello, o secretário de obras Eduardo Sarmento, o geólogo Fernando de Souza e a bióloga Letícia Bastos. Na ocasião foi protocolado pela fiscal o pedido do processo de licenciamento do Parque Naútico, localizado na cidade.

Em 2019, o Conselho mapeou as regiões que têm mais emissão de ARTs. No Rio Grande do Sul o maior número se encontra no litoral. A partir dessas informações é possível mapear os lugares onde os Biólogos mais estão trabalhando, o que possibilita definir melhores estratégias de acompanhamento dos serviços executados e da legalidade dos profissionais responsáveis pelos mesmos.

17 de fevereiro de 2020 

O Conselho Regional de Biologia da 3ª Região (CRBio-03), representado pela conselheira Maria Helena Faedo, participou da cerimônia de Colação de Grau do curso de Ciências Biológicas da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul - Unijuí, ocorrida na sexta-feira (14), em Ijuí. Colaram grau em bacharel e licenciatura oito formandos.


“Estar presente nesses momentos junto às universidades é de suma importância para a nova diretoria do CRBio-03. É uma maneira de fortalecemos os vínculos com as instituições de ensino e oferecer apoio profissional nessa nova fase dos Biólogos que estarão entrando no mercado de trabalho”, declara Maria Helena.

A atual gestão, que assumiu em novembro último, prioriza a aproximação com as instituições de ensino para auxiliar na formação dos profissionais nas diversas novas áreas e campos de trabalho que estão se abrindo.

Desde novembro, esta já é a quarta cerimônia de coleção de grau que o Conselho participa.

14 de fevereiro de 2020

A febre amarela é uma doença grave que é transmitida por mosquitos. O vírus da Febre Amarela apresenta dois ciclos epidemiológicos de transmissão, o silvestre e o urbano.

No ciclo silvestre a doença é transmitida pela picada de mosquitos do gênero Haemagogus infectados, que vivem em áreas silvestres e matas. Já no ciclo urbano é transmitida pela picada do mosquito Aedes aegypti infectado, sendo o homem o único hospedeiro vertebrado com importância epidemiológica. Entretanto, este tipo de contágio é raro no Brasil.

Existe um mito que os macacos transmitem o vírus da febre amarela para seres humanos, quando na verdade eles também são vítimas. “O macaco infectado na verdade é um bio- indicador da presença do vírus naquela região, ele tem uma grande importância nesse sentido, já que são os primeiros a adoecer”, explica o delegado do CRBio-03 em Santa Catarina, Biólogo Emerilson Emerim.

No estado de Santa Catarina dois macacos foram diagnosticados com febre amarela neste ano. Em 2019, o Estado registrou 353 casos de primatas mortos em 77 municípios. Desses, seis mortes foram confirmadas por febre amarela.

Emerilson salienta que "o vírus é transmitido pela picada dos mosquitos transmissores infectados e não há transmissão direta de pessoa a pessoa, nem de macacos a seres humanos".

Também foram confirmados três casos do vírus em humanos em SC. Nenhum dos pacientes tinha registro de vacinação no Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações.

Prevenção

A única forma de se proteger é a vacinação. Ela está disponível no Sistema Único de Saúde (SUS). A dose é dada a partir de nove meses de vida. Desde 2017, o Ministério da Saúde seguia as orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS) de oferecer apenas uma dose da vacina de febre amarela para a vida toda. A partir deste ano as crianças passaram a ter um reforço aos quatro anos de idade. De acordo com estudos do Ministério da Saúde há uma diminuição na resposta imunológica de crianças que são vacinadas muito cedo.

Sintomas

De acordo também com o Ministério da Saúde, muitas pessoas que contraem a febre amarela não apresentam sintomas e, quando os apresentam, os mais comuns são febre, dores musculares em todo o corpo, principalmente nas costas, dor de cabeça, perda de apetite, náuseas e vômito, olhos, face ou língua avermelhada, fotofobia e fadiga.

“Houve denúncias que pessoas estariam matando os macacos por acreditar que eles transmitem a doença, o CRBio-03 se preocupa em proteger este animal e alertar a população que a espécie não faz parte do ciclo de infecção”, afirma Emerim.

 

14 de fevereiro de 2020

Ações para fortalecimento da profissão de Biólogo e do Sistema CFBio/CRBios foi a pauta no encontro de presidentes dos Regionais ocorrido na quinta-feira (13), na sede do Conselho Federal de Biologia (CFBio), em Brasília.

A formação continuada para Biólogos, a revisão de Resoluções do CFBio e a padronização de procedimentos por parte do Sistema CFBio/CRBios, considerando a realidade de cada Regional, foram assuntos abordados.

O presidente do CRBio-03, Jackson Muller esteve presente. “É importante debater com os demais Regionais a fim de uma troca de experiências, mesmo que cada uma tenha suas particularidades fazemos parte de um mesmo Sistema profissional", declara Muller.

Também participaram da reunião os presidentes Vicente Moreira Conti (CRBio-02), Carlos Loiola (CRBio-04), João Luiz do Nascimento (CRBio-05), Yamile Alencar (CRBio-06), Vinícius Abilhoa (CRBio-07) e César Góes Carqueija (CRBio-08), além do assessor institucional do CRBio-04, Atenágoras Carvalhais Júnior, e o advogado do CRBio-03, Ernani Luis Daniel.

13 de fevereiro de 2020

O Instituto Butantan, um dos principais centros de pesquisas científicas do mundo, localizado em São Paulo, abriu inscrições para a 16ª Olimpíada Brasileira de Biologia (OBB) até o dia 10 de março para alunos do Ensino Médio em todo Brasil.

Os vencedores participarão da 31ª Olimpíada Internacional de Biologia (IBO), que acontece em julho, em Nagasaki, no Japão. Os ganhadores também terão a a possibilidade de competir na 14ª Olimpíada Ibero-americana de Biologia (OIAB), em setembro, na Costa Rica.

As inscrições são gratuitas e devem ser realizadas por um professor responsável de cada escola, pública ou privada, pelo site da OBB - www.olimpiadasdebiologia.butantan.gov.br


Mais oportunidades
Os medalhistas poderão ingressar em universidades públicas como a Universidade de São Paulo (USP), Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Universidade Estadual Paulista (Unesp) e Universidade Federal de Itajubá (Unifei – MG) .Em 2019, três participantes entraram na USP por meio desta oportunidade.

As inscrições e a consulta ao regulamento podem ser realizadas no site da OBB.

12 de fevereiro de 2020

O pagamento da anuidade 2020 para Pessoa Física e Jurídica inscrita no Conselho Regional de Biologia da 3ª Região vai até o dia 31 de março sem juros e multa. O valor é de R$ 543,09 para Pessoa Física, estabelecido pelo Conselho Federal. Para os profissionais que pagarem até o dia 29 de fevereiro há 20% de desconto, R$ 434,47.

A anuidade da Pessoa Jurídica é de acordo com o capital social único, declarado no contrato. Caso seja atualizado o capital social, o valor da anuidade também tem reajuste. Confira os valores abaixo:

 

A partir deste ano a geração do boleto para este pagamento será feito unicamente pelo site, não sendo mais enviado por correio.

 

11 de fevereiro de 2020

O Conselho Regional de Biologia da 3ª Região (CRBio-03) esteve presente na Colação de Grau do curso de Ciências Biológicas da Universidade La Salle, na última sexta-feira (7), em Canoas, representado pela conselheira Daisy Vasconselos Bessa. O Conselho busca, desde a posse da nova administração em novembro último, estar próximo das instituições de ensino para acompanhar os novos profissionais que chegam ao mercado de trabalho.

“A presença do CRBio-03 é importante para mostrar aos novos Biólogos que eles serão acolhidos por nós enquanto profissionais. Que eles têm um Conselho que luta pelos seus direitos para que exerçam sua profissão com dignidade”, declara Daisy Bessa.

A cerimônia foi realizada no Centro de Eventos ParkShopping, em Canoas. Na ocasião a formanda e melhor aluna do curso Taiane dos Santos foi laureada e recebeu uma medalha de honra acadêmica do CRBio-03.

30 de janeiro de 2020

De acordo com o dicionário Aurélio, meio ambiente é o conjunto de condições e influências naturais que cercam um ser vivo ou uma comunidade, e que agem sobre eles, ou seja, praticamente todas as relações entre os seres vivos e os não vivos.

Baseado nesta definição e com ampla abrangência, esteve reunida no último dia 29 a Comissão Meio Ambiente do Conselho Regional de Biologia 3ª Região, em seu primeiro encontro do ano. Na pauta, os temas e ações a serem defendidas ao longo de 2020, assim como todos os procedimentos legais que envolvem esta que é uma das mais importantes Comissões do CRBio-3ª Região. “Iremos trabalhar, em conjunto com todas as demais instâncias da autarquia, para atender às demandas dos nossos profissionais. Este é um novo CRBio e os biólogos terão orgulho de seu Conselho” afirmou o coordenador da CMA, Biólogo Emerilson Emerin.

29 de janeiro de 2020

O novo Coronavírus tem deixado alerta a população mundial. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), aproximadamente cinco mil pessoas já foram infectadas no mundo por ele. O Coronavírus faz parte de uma família viral, pode causar desde um resfriado comum até síndromes respiratórias graves. Este novo vírus se espalhou a partir da região de Wuhan, na China. Dos anos 2000 para cá é a terceira contaminação causada por este tipo de vírus, como a síndrome respiratória aguda grave (SARS), também ocorrido na China, em 2002 e a síndrome respiratória do Oriente Médio (MERS) que aconteceu em 2012.

A Bióloga Dra. Sabrina Esteves de Matos, professora da Universidade Feevale, explica que provavelmente este seja um caso de zoonose, quando doenças típicas de animais podem ser transmitidas aos seres humanos e vice-versa. “Acredita-se que o novo Coronavírus tenha sido originalmente transmitido para o ser humano de animais silvestres, mas nada está confirmado ainda”, relata a Bióloga.

Sabrina ressalta que esse novo vírus já ocasionou mais mortes até agora se comparado ao SARS. Por isso a OMS tem tomado medidas de segurança, isolando as pessoas que vêem das áreas de risco. “O vírus pode demorar para se manifestar na pessoa infectada, assim como nem todo mundo que for contaminado vai gerar a doença, de fato ainda não temos anticorpos para ele”, explica Sabrina.

Ela relata que o Coronavírus pode sofrer mutações e ir se recombinando e originando outros agentes. “Como vivemos num mundo cada vez mais populoso, a China é um grande exemplo disso, temos que estar atentos, pois quanto mais pessoas maior o número de contágio”.

Mesmo que não se tenha casos no Brasil, a Bióloga recomenda alguns cuidados típicos de doenças infecciosas virais como lavar as mãos frequentemente e usar máscaras cirúrgicas, embora só evite a dispersão de longo alcance. Essas medidas já foram adotadas nos locais onde se têm conhecimento de vírus.

29 de janeiro de 2020

O Sistema Nacional de Controle da Origem dos Produtos Florestais (Sinaflor) é um sistema eletrônico de gestão dos recursos florestais que integra dados e informações de todos os estados e do Sistema de Cadastro Ambiental Rural, do Ato Declaratório Ambiental e do Documento de Origem Florestal, além de autorizações de exploração florestal emitidas pelos órgãos competentes.

Criado em 2014 pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), é considerado pelos profissionais como um instrumento de grande importância para a gestão florestal no país, por sistematizar as informações e promover desta forma a transparência. Seja para os técnicos que atuam no poder público como para aqueles que atuam na iniciativa privada, o sistema oferece uma padronização de processos, que é essencial na gestão ambiental.

“Os dados do sistema podem auxiliar, futuramente, a pensar políticas públicas de recomposição vegetal e recuperação de áreas degradadas. O que ainda precisamos avançar é na relação entre os entes federados - União, Estados, Distrito Federal e principalmente municípios, no sentido de qualificar seus órgãos locais de gestão para que a ferramenta possa ser melhor trabalhada” afirma o presidente do CRBio-03, Biólogo Jackson Muller.

O sistema é utilizado para controle da origem da madeira, do carvão e de outros produtos ou subprodutos florestais, sob coordenação, fiscalização e regulamentação do Ibama a fim de melhorar a tutela florestal no Brasil, já que o país assumiu o compromisso de reflorestar 12 milhões de hectares de florestas até 2030, na 21ª Conferência do Clima (COP 21) ocorrida em 2015 na cidade de Paris.

Dois tipos de usuários podem acessar o Sinaflor. O empreendedor, pessoa física ou jurídica que declare ao menos uma das atividades do Cadastro Técnico Federal de Atividades Potencialmente Poluidoras e Utilizadoras de Recursos Ambientais (CTF/APP), indicadas na página Acesso de Empreendedor no Sinaflor e esteja em situação regular junto ao Ibama, verificada por meio do Certificado de Regularidade. Outro usuário é o responsável técnico, pessoa física que possua Cadastro Técnico Federal de Atividades e Instrumentos de Defesa Ambiental (CTF/AINDA) com o motivo de inscrição adequado, indicado na página Acesso, Cadastro e Homologação de Responsável Técnico no Sinaflor e esteja em situação regular junto ao Ibama, verificada por meio do Certificado de Regularidade.

Os Biólogos atuam no Sinaflor como responsáveis técnicos em projetos que tramitam no sistema, conforme estabelece a Resolução CFBio nº 480/2018, que dispõe sobre a atuação do Biólogo em Inventário, Manejo e Conservação da Vegetação e da Flora e atividades correlatas.

Aqueles que ainda tiverem dúvidas quanto ao uso do Sistema, o Ibama criou, ano passado, uma plataforma de Ensino a Distância (EaD) para capacitar empreendedores, responsáveis técnicos e servidores de órgãos ambientais a operar o Sinaflor. Os usuários podem acessar o material didático em formato PDF e videoaulas, além de biblioteca virtual com materiais auxiliares, manuais e documentos necessários à operação do sistema. A inscrição nos cursos e o uso da plataforma são gratuitos. Ao concluir a aprendizagem, o usuário receberá um certificado de participação emitido pelo Ibama.

28 de janeiro de 2020

O Conselho Regional de Biologia 3ª Região, enviou hoje (28), um oficio de impugnação para a direção do Hospital de Clinicas de Porto Alegre referente a vaga de concurso que exclui o Biólogo, pedindo retificação e inclusão do profissional.

No início deste ano, o Hospital de Clinicas de Porto Alegre abriu o edital do concurso, nível Médio e Superior. Nas vagas abertas o cargo Biomédico I (Microbiologia) tem como pré-requisito Graduação em Biomedicina, com habilitação em Análises Clínicas ou Microbiologia ou Graduação em Farmácia (Farmacêutico Generalista ou Farmacêutico-Bioquímico com habilitação em Análises Clínicas), e Registro no respectivo Conselho Regional. Na descrição da vaga, desenvolver processos técnicos de microbiologia, tais como processar e liberar exames alinhados ao padrão de excelência definidos, auxiliar os pesquisadores externos no desenvolvimento de pesquisa, de forma a integrar as atividades assistenciais, ensino e pesquisa junto à equipe multidisciplinar do Hospital de Clínicas.

O Edital desconsidera o profissional Biólogo que é legalmente habilitado para a execução das atividades relacionadas e possui conhecimento e formação acadêmica para exercê-las.

A Resolução do CFBio nº 227/2010 estabelece que os Biólogos poderão exercer, de acordo com o perfil profissional, exame, análise e diagnóstico laboratorial, vistoria, perícia, avaliação, arbitramento, laudo, parecer técnico, relatório técnico, licenciamento e auditoria. “Desta forma, as áreas de conhecimento em Análises Clínicas ou Microbiologia, assim como as atividades desenvolvidas no cargo de Biomédico ou Farmacêutico-Bioquímico compreendem áreas de atuação e conhecimento do Biólogo, por essa razão nossos profissionais estão habilitados para exercer as atividades do referido cargo”, afirma o advogado do Conselho, Ernani Daniel que completa “solicitamos a inclusão do requisito de graduação ensino superior em Ciências Biológicas com habilitação em Análises Clínicas ou Microbiologia e a respectiva abertura da vaga para estes profissionais”.

No mesmo concurso, foram abertas duas vagas que abrangem os Biólogos na área de Centro de Processamento Celular e Diagnóstico Molecular em Neoplasias. “Mas estaremos atentos a todos os processos públicos de contratação para que nunca mais nossos profissionais sejam excluídos de direitos que lhe pertencem pela sua formação profissional” finaliza o presidente do Conselho Biólogo Jackson Muller.